A Morcela da Guarda, é um enchido fumado obtido a partir de sangue e gorduras de porco finamente partidas, temperadas com sal, salsa, colorau doce, cebola picada e cominhos. De acordo com o filósofo grego, Platão(Mithaïcos, 428 a.C.), a morcela foi inventada pelo grego Aftónitas, existindo diferentes variedades, na Europa e na América Latina, sendo que em Portugal, é um prato típico, podendo ser encontrado em várias regiões do país.

 

Ingredientes:

Pão de trigo assente

Sangue de porco

Tripa de porco

Gorduras de porco derretidas

Sal

Salsa

Cebola picada

Colorau doce

Cominhos

Modo de Preparação:

 

Começa-se por tirar o miolo ao pão de trigo assente: com dois ou três dias de cozedura.

De seguida, mistura-se o pão desfazendo-o com o sangue, adicionando uma mão cheia e generosa de cominhos, colorau doce, salsa finamente picada, cebola e sal q.b.

Derrete-se seguida ao lume a gordura previamente partida aos bocadinhos e adiciona-se à massa anterior.

As tripas de porco foram previamente bem lavadas, deixando-as de molho de um dia para o outro com sumo de limão. Passando-as ainda por aguardente, par remoção total de odores.

Enchem-se as tripas com o preparado.

Após enchimento manual, as tripas são fechadas, atando-se firmemente com um fio de algodão, após esvaziar-se o ar com agulha.

Finalmente a morcela é submetida a uma leve cozedura com água em lume brando, de forma a evitar que rebente.

Geralmente é utilizado um caldeiro colocado nas candeias da chaminé, dispondo-se as morcelas em canas ligeiramente distanciadas, sendo ainda picadas lentamente com agulha, para remover o ar das tripas.

Após cozedura as morcelas estão prontas para entrar nas varas e iniciar o processo de secagem.

Antes de encher as morcelas e para se retificar os gostos faz-se a “prova”, que bem torrada à lareira é um dos mangares do dia da matança.

 

Fonte: Câmara Municipal da Guarda

Morcela da Guarda
0.00(0 votes)

Publicado Por Pratos da Região

Comentário (0)

Deixe Um Comentário